FUNDAFFEMG - Fundação AFFEMG de Assistência e Saúde

Combate e Prevenção da Hanseníase

No último domingo de janeiro, comemora-se o Dia Mundial de Combate à Hanseníase e o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, conscientizando a todos sobre os sintomas, os perigos e a importância do diagnóstico precoce da doença. Antigamente, quando os aspectos da enfermidade ainda eram pouco conhecidos, os portadores da hanseníase eram associados a impurezas, sendo excluídos do convívio social. Por isso, a data também ajuda a evitar que mais pacientes sejam vítimas do preconceito.

Fibromialgia

A Fibromialgia é uma doença reumatológica, que provoca dores generalizadas pelo corpo, principalmente nas articulações e nos tendões. O paciente apresenta fadiga, intolerância ao exercício físico e sono não repousante – sensação de continuar cansado, mesmo depois de dormir. Na maioria dos casos, a doença afeta o público feminino. As mulheres entre 30 e 55 anos são as mais atingidas. No entanto, pessoas idosas, crianças e adolescentes também podem desenvolver a síndrome.

Febre Amarela

Minas Gerais está em alerta para os casos de Febre Amarela Silvestre. Se você mora ou vai viajar para regiões de risco, vacine-se!

Mamografia: uma chance para realizar o exame!

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o que mais afeta a população mundial e brasileira. O percentual só não é maior do que o de pele não melanoma. A última estimativa divulgada pelo instituto era de que 57.960 novos casos fossem diagnosticados no Brasil em 2016/2017. Por essas e outras razões, o câncer de mama tem sido tratado como prioridade da agenda de saúde do país.

..

Combate e Prevenção da Hanseníase


No último domingo de janeiro, comemora-se o Dia Mundial de Combate à Hanseníase e o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, conscientizando a todos sobre os sintomas, os perigos e a importância do diagnóstico precoce da doença. Antigamente, quando os aspectos da enfermidade ainda eram pouco conhecidos, os portadores da hanseníase eram associados a impurezas, sendo excluídos do convívio social. Por isso, a data também ajuda a evitar que mais pacientes sejam vítimas do preconceito.

A hanseníase é uma infecção bacteriana contagiosa, comumente conhecida como lepra, causada pela Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen. Ela é caracterizada por lesionar os nervos periféricos e diminuir a sensibilidade da pele na área afetada. Se não for descoberta cedo, pode trazer complicações, como deformidades e incapacidades físicas.
A transmissão da Mycobacterium leprae é feita por via respiratória, por gotículas de saliva ou secreções do nariz, ou seja, o contato com a pele do paciente não transmite a doença. Em seguida, o parasita se instala em nervos periféricos, e os sintomas aparecem entre seis meses e cinco anos. Em casos mais brandos da hanseníase, o próprio corpo consegue eliminar a bactéria, que não se espalha. Porém, alguns portadores apresentam imunidade reduzida ou inexistente a ela, possibilitando a multiplicação do parasita e a sua transmissão a outras pessoas.
Os casos atuais de hanseníase estão muito ligados a condições precárias de higiene em regiões carentes ou ao contato prolongado e/ou íntimo com um portador que não tenha feito o tratamento quimioterápico. Isso acontece porque os ambientes quentes, úmidos e sujos são ideais para a sobrevivência da bactéria. Sobre a incidência da doença, a maioria das ocorrências é registrada em homens, e, como demora a aparecer algum sintoma, os relatos em adultos são mais frequentes que em crianças.
Por atingir nervos e pele, a hanseníase pode ter manifestações neurológicas ou dermatológicas. No primeiro caso, os sintomas podem ser: dormência, perda de tônus muscular e retração dos dedos, podendo desenvolver incapacidades físicas, se não houver tratamento. Já as manifestações na pele são: manchas claras, vermelhas ou escuras, com limites imprecisos e pouco visíveis, aliadas à alteração da sensibilidade, queda de pelos e ausência de transpiração na área afetada. Outro sintoma, presente nas fases agudas da doença, é o aparecimento de caroços em partes frias do corpo, como pés, mãos, orelhas e cotovelos.
Para diagnosticar a doença, o médico realiza exames de sensibilidade, durante a consulta, além da biópsia da ferida, para analisar a presença da bactéria. Como recomendação da Organização Mundial da Saúde, o tratamento da hanseníase é feito com a poliquimioterapia, que consiste no uso de antibióticos oferecidos gratuitamente em todo o mundo. Esses medicamentos são capazes de inibir a evolução da doença até que o parasita seja completamente eliminado do corpo.
Dentro de quatro dias após o início do tratamento, a hanseníase não é transmitida para outras pessoas. Se o paciente seguir corretamente as indicações médicas, conseguirá curar a doença e prevenir incapacidades e deformidades. Geralmente, o tratamento varia entre seis meses e um ano e meio, dependendo da gravidade. Vale lembrar que a medicação não é indicada durante a gravidez.
A hanseníase pode ser prevenida com a vacina BCG, obrigatória em crianças entre 0 e 4 anos. Além disso, manter bons hábitos alimentares e de higiene e praticar exercícios físicos são importantes para reforçar o sistema imunológico para que ele combata a bactéria, caso haja contato com ela.

Informações retiradas dos sites sbd.org.br e minutosaudavel.com.br
 

..........................................................................................................................................
 [volta página anterior]
 
 
Receba nosso

Boletim Eletrônico


.............................................................................................................................................................................................
FUNDAFFEMG   |   Rua Sergipe, 893   .   Savassi  .   30130-171   .   BH/MG   .   Tel (31) 2103-5858   .   Fax (31) 2103-5890