FUNDAFFEMG - Fundação AFFEMG de Assistência e Saúde

 Novos membros no Conselho Curador

 No dia 14 de junho, os Auditores Fiscais de Tributos Estaduais José Luiz de Lima, Mônica Schusterschitz da Silva Araujo e Vera Maria Sampaio Teixeira Zambelli Loyola tomaram posse como membros suplentes do Conselho Curador da FUNDAFFEMG. Eles substituíram Arnaldo Tadeu Guimarães, Fabrício Franco de Souza e Leonardo Augusto Rodrigues Borges. 

Como funciona a Assistência Domiciliar?

Segundo a Resolução nº 01/2016 do Conselho Curador da FUNDAFFEMG, a Assistência Domiciliar (PAD) é o conjunto de atividades de caráter ambulatorial, programadas e  continuadas, realizadas em domicílio, que visam cuidar da saúde do beneficiário acamado ou restrito ao leito e/ou cronicamente enfermo, com limitações para deambular ou funcionalmente dependente, mediante suporte familiar efetivo. A finalidade é maximizar o nível de independência do paciente, atuando de forma preventiva e curativa. Separamos alguns artigos do documento que está disponível na íntegra aqui.

Cuide dos seus olhos

Oitenta por cento de todas as informações que recebemos pelo cérebro chegam por meio da visão. Por esse e outros motivos os cuidados com a saúde ocular são fundamentais. Para se ter uma ideia, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 60% e 80% dos casos de cegueira são evitáveis e tratáveis.

 FUNDAFFEMG completa 33 anos

Há 33 anos, Sinval Pereira da Silva percebeu que a classe fiscal de Minas Gerais precisava de um serviço de saúde de qualidade e, depois de assumir a vice-presidência da AFFEMG, contratou dois médicos para atender o público. Ele notou que seriam necessários aprimoramentos e, juntamente, com sua equipe, começou a realizar visitas técnicas a hospitais e consultórios para iniciar a rede de credenciados. Nascia aí o Plano AFFEMG-Saúde, com apenas 263 beneficiários. 

..

  Dia Mundial da Luta contra a Aids


 O primeiro dia de dezembro é voltado para a visibilidade e a conscientização a respeito da Aids. A data foi estabelecida mundialmente, há 30 anos, a fim de aumentar os debates sobre o assunto, esclarecer informações, promover a troca de experiências e de assistência aos portadores do vírus HIV e da Aids, reforçando, ainda, a solidariedade, e o respeito a essas pessoas. O dia visa, também, frear o aumento de casos de HIV/Aids no mundo.

 

VÍRUS HIV

HIV é a sigla, em inglês, para Vírus da Imunodeficiência Humana. Ele ataca o sistema imunológico, responsável pela defesa do corpo, e é o causador da Aids. Ao alterar o DNA dos linfócitos T CD4+ (glóbulos brancos), o HIV faz cópias de si mesmo, aumentando a sua infecção no organismo. A pessoa que contrai esse vírus é chamada de soropositiva, mas isso não quer dizer que ela tenha Aids. Muitos soropositivos vivem sem desenvolver a doença, tomando os medicamentos que inibem a multiplicação do vírus.

A transmissão do HIV é feita por sangue, esperma, secreção vaginal ou leite materno. Sendo assim, a infecção pode ser por meio do contato sexual sem preservativo, compartilhamento de seringas e objetos cortantes sem esterilização, transfusão de sangue contaminado, e da mãe para o filho durante a gravidez ou na amamentação.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o vírus não é transmitido pelo ar, por saliva, suor, picada de inseto ou qualquer contato físico que não envolva os aspectos citados acima. Por isso, a conscientização é tão importante, para diminuir o preconceito com os portadores de HIV/Aids. Preservar a autoestima dos soropositivos é um ponto essencial no tratamento. 

 

AIDS

A sigla Aids, também em inglês, representa a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Esta doença destrói os glóbulos brancos, comprometendo a defesa do organismo e facilitando o desenvolvimento de outras doenças, desde resfriados ao câncer.

Os primeiros sintomas da Aids podem aparecer de três a seis semanas após a infecção. Eles são parecidos com os sinais da gripe, como febre e mal-estar, o que pode confundir o diagnóstico. Depois disso, vem um período assintomático, capaz de durar anos, e, em seguida, o paciente pode apresentar febre, diarreia, suor noturno, emagrecimento e fraqueza. Este é o estágio mais avançado da Aids, em que as células de defesa do corpo já foram muito comprometidas.

É nesse período que as doenças oportunistas, aquelas que se aproveitam do enfraquecimento do organismo, começam a aparecer. Sendo assim, o diagnóstico precoce do HIV é extremamente importante, para que o tratamento seja iniciado o quanto antes. Então, se você passou por alguma situação de risco, faça o exame anti-HIV ou o teste rápido, ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A Aids não tem cura, mas existem os remédios retrovirais, que combatem o desenvolvimento do vírus, melhorando a qualidade de vida do portador e reconstituindo o sistema imunológico. Com os medicamentos e as recomendações indicadas pelos médicos, é possível viver bem com o vírus.

 

PREVENÇÃO

É importante usar camisinha e evitar o compartilhamento de instrumentos que furam ou cortam. Opte por seringas e agulhas descartáveis e use luvas, caso precise entrar em contato com feridas ou líquidos possivelmente contaminados. Além disso, as recomendações do pré-natal, parto e pós-parto diminuem muito as chances de transmissão do vírus da mãe para o filho.

 

Informações retiradas dos portais aids.gov.br e minhavida.com.br

..........................................................................................................................................
 [volta página anterior]
 
 
Receba nosso

Boletim Eletrônico


.............................................................................................................................................................................................
Rua Sergipe, 893 . Savassi - BH/MG - CEP:30130-171 . Telefone (31)2103-5858